POLÍCIA CIVIL: Chefe de grupo de extermínio preso em Fortaleza vivia em imóvel de R$ 2 milhões

A polícia investiga informações de que Marcelo Pantoja Rabelo pretendia incluir o Ceará em rotas de contrabando.
Um foragido da Justiça do Pará, investigado por ser chefe de um grupo de extermínio e por envolvimento em uma dupla tentativa de homicídio, foi preso em Fortaleza nesta segunda-feira (20). Ele estava em um posto de combustíveis, em um carro blindado, quando foi visto por policiais da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). Ao ser abordado, o homem apresentou documentos falsos. 

A polícia investiga informações de que Marcelo Pantoja Rabelo, 40, conhecido por “Marcelo da Sucata”, pretendia incluir o Ceará em rotas de contrabando. O grupo de extermínio chefiado por ele vitimou seis pessoas em 2016, no Pará. A tentativa de duplo homicídio também ocorreu naquele Estado, em 2018. No Ceará, o homem não possui antecedentes criminais. 
Após ser abordado, Rabelo foi conduzido pela polícia até o imóvel onde morava, em um condomínio no Bairro Cocó, avaliado em cerca de R$ 2 milhões. Lá foram encontrados ampolas de anabolizantes, celulares, sendo um do tipo "satélite", e um caderno de anotações. O carro blindado onde o criminoso estava é avaliado em R$ 300 mil, informou a secretaria. 

Após contato com a Justiça do Pará, foi expedido um mandado de prisão preventiva contra o criminoso pelo crime de homicídio qualificado. "Marcelo da Sucata” também foi autuado em flagrante por uso de documento falso e posse de substância anabolizante. 

O material encontrado com ele foi encaminhado à sede da Draco.

(Diário do Nordeste)
POLÍCIA CIVIL: Chefe de grupo de extermínio preso em Fortaleza vivia em imóvel de R$ 2 milhões POLÍCIA CIVIL: Chefe de grupo de extermínio preso em Fortaleza vivia em imóvel de R$ 2 milhões Reviewed by Fabiano Silva on 14:44:00 Rating: 5

Nenhum comentário