Projeto da UFC cria programa gratuito em que movimento da cabeça substitui mouse e teclado


Fala e escrita são as principais formas que temos para nos comunicar. Porém, muita gente tem dificuldades em realizar essas atividades básicas, ou até mesmo não consegue. É o caso de quem sofre com paralisias, escleroses, membros amputados ou lesões nos membros superiores. Aparelhos para auxiliar nesse processo de comunicação até existem, mas são muito caros. Para permitir que essas pessoas tenham a possibilidade de interagir e serem compreendidas, um programa de computador gratuito está sendo desenvolvido pelos departamentos de Arquitetura, Mídias Digitais e Cinema da Universidade Federal do Ceará (UFC): o Juca.
A professora de Novas Tecnologias da UFC Cristiana Parente, uma das idealizadoras do projeto, que trabalha com software de captura para o campo da arte, teve como inspiração um amigo que sofre de Esclerose lateral amiotrófica (ELA), uma doença degenarativa que compromete a musculatura do corpo. “Aliei meu trabalho com essa percepção da necessidade que as pessoas que têm esse tipo de problema, ou dificuldades com os membros ou fala, possam se comunicar. Pessoas que têm essas dificuldades precisam da ajuda da tecnologia”.
O Juca, nome dado em homenagem a árvore nordestina Jucá, está sendo patrocinado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). “Também lembra o nome de uma pessoa. Juca, aquele que pode ajudar. Esse tipo de coisa”.
Seu funcionamento será feito por meio de computador e webcam. A cabeça servirá como mouse. “Uma vez instalado, ele abrirá automaticamente, já fazendo o reconhecimento do rosto”, explica a arquiteta Natasha Catunda, uma das responsáveis pela pesquisa, junto com Cristiana e o professor Daniel Cardoso. “A ideia é permitir o acesso de um programa de computador para pessoas que têm deficiência ou dificuldade de mobilidade de membros superiores, paralisia, doenças degenerativas, ou mesmo tendo boa cognição, por algum motivo”.
/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/2/2015/06/unnamed
Equipe de desenvolvimento do projeto, dos departamentos de Arquitetura, Mídias Digitais e Cinema da UFC. (FOTO: Arquivo pessoal)
Como complemento, um teclado virtual também está sendo criado, baseado nos movimentos da cabeça. “A ideia é centralizar as letras mais utilizadas do alfabeto”. O teclado é pensado na língua portuguesa, ao contrário do modelo atual, oQwerty, que foi desenvolvido para o inglês. “Decidimos centralizar as vogais, para o português, pois, praticamente, toda sílaba tem vogal. Fizemos ainda um um código para fazer a contagem de sílabas no português com base nesse programa. Depois disso, fomos ajustando o posicionamento do restante das letras”, explica Cristiana.
O reconhecimento do usuário é feito pela webcam ao iniciar o programa, pela mancha da face e pelos olhos. O movimento da cabeça vai conduzindo a seta, semelhante a do mouse comum pela tela do computador. “Para clicar, é necessário que a pessoa fique com a seta parada em um ponto. Desse modo, o software entende que é para abrir”, pontua.
Sobre o desenvolvimento do teclado, Natasha Catunda revela que vários textos de distintos temas foram selecionados e inseridos no programa, e a partir daí foi possível verificar quais sílabas e letras eram mais utilizados. “Dessa forma, ele separa as sílabas, fazendo ainda a contagem das letras, agilizando o processo de comunicação”.
“Os softwares desse modelo, chamado de captura, são muito caros por serem importados. Custam em torno de R$ 40 e R$ 50 mil. Nossa ideia é baratear esse custo. Nosso objetivo é criar algo acessível, por isso estamos desenvolvendo um programa que será gratuito”, conta.
Com previsão de lançamento e patente para agosto, o sistema ficará disponível para download no site da UFC e no portal do Catálogo Nacional de Produtos de Tecnologia Assistiva. “Os portadores de necessidades especiais sempre estão olhando esse site pra verificar as novidades que podem ajudá-los”, ressalta.
Além de auxiliar os deficientes motores, as pesquisadoras ressaltam que o serviço servirá ainda para otimizar a digitação em aparelhos tecnológicos, como celulares e tablets. Menos movimento com mais rapidez. “O uso do do teclado será apenas com um dedo ao invés das duas mãos. O benefício será a agilidade, que será potencializada em 50% em relação ao modelo de teclado tradicional”, conclui Cristiana.
Projeto da UFC cria programa gratuito em que movimento da cabeça substitui mouse e teclado Projeto da UFC cria programa gratuito em que movimento da cabeça substitui mouse e teclado Reviewed by Fabiano Silva on 09:22:00 Rating: 5

Nenhum comentário