Rádio Forquilha online

Nota de Esclarecimento dos Fatos, pelo médico Adriano Bispo

Como muitos já viram, ontem, houve uma publicação envolvendo meu nome, sendo, esta, fonte de acusações infundadas e xingamentos desnecessários. Acredito que a população deve se manifestar sempre, mas da forma maiscabível e adequada, além disso, é importante que saibamos diferenciar: DIREITOS ≠ VONTADES.
Apesar de, aqui, falarmos tão pouco acerca do assunto é uma pena que muitos nem cheguem a ler essa carta até o fim, contudo, mantenho a expectativa.saúde pública tem se desgastado demais nos últimos anos, assumindo o carro chefe de inúmeras discussões e debates políticos. Como em todos os assuntos que percorrem nosso meio, sempre há uma figura simbólica que é utilizada para representar uma classe, nesse caso da saúde pública, tem sido o médico.Dessa forma, nos últimos tempos, toda e qualquer frustração na área da saúde tem sido manifestada como se fosse culpa dos médicos, o que leva a um preconceito geral contra meus colegas de profissão. Assim, é normal que muitos ”atirem as primeiras pedras” antes de refletirem sobre o que leram nas redes sociais.Simplificando as coisas:O plantão na Unidade de Pronto Atendimento de Forquilha-CE  é composto por uma equipe pequena de profissionais, sendo na realidade bastante semelhante a um PSF mais equipado. No local trabalham apenas 01 médico(a), 01 enfermeiro(a) e 3 auxiliares de enfermagem. Sendo assim, como único posto de avaliação médica na região durante os fins de semana e noites, recebemos os pacientes dos mais diversos distritos pertencentes ao município, que em sua totalidade chegam a quase 25 mil habitantes. Ou seja, só é contratado 01 único médico para dar suporte a possíveis 25 mil pacientes. Portanto, os atendimentos prestados à população são feitos em caráter de Urgência e Emergência (que fique claro que emergência são quadros que colocam em risco a vida do paciente no exato momento), devendo, os pacientes mais GRAVES, ser atendidos com prioridade, ou, os mais simples, que não apresentam risco iminente, direcionados ao Posto de Saúde.Quanto a Idosa de 73 anos, ELA FOI ATENDIDA SIM. ENTROU EM MEU CONSULTÓRIO, E EXAMINEI A PACIENTE. Durante uma avaliação e anamnese dirigidas, esclareci a acompanhante que ela precisaria fazer uns exames complementares, mas queantes disso, eu poderia realizar um procedimento ambulatorial
sem
 caráter de Urgência na própria unidade para conforto da paciente, mas que a mesma NÃO ESTAVA GRAVE, que PODERIA ESPERAR NO SALÃO ATÉ TEMINAR OS PRÓXIMOS ATENDIMENTOS, POIS ESTAVAM MAIS GRAVES QUE ELA. Com o passar do serviço, novos pacientes chegaram, como uma paciente com possível fratura exposta. Em virtude da complexidade do quadro, a senhora com possível fratura foi atendida de imediato, pedi que a colocassem na sala de procedimentos para uma melhor avaliação. Durante isso, a Idosa que havia sido atendida, estava acompanhada de sua filha, genro e sobrinha, sendo que esta última, extremamente exaltada, xingava e gritava com a equipe toda e prejudicava a concentração dos profissionais e o andamento do serviço, pois estava insatisfeita com a demora do atendimento, sendo que a paciente chegou as 19:15h, foi atendida num primeiro momento em torno de 20:00h e deu início ao atrito as 21h.De imediato, pedi a filha da paciente Idosa que retirasse sua prima do local, pois a mesma estava atrapalhando o atendimento de outros pacientes e comprometendo a qualidade do atendimento. Insatisfeita, a filha da paciente se recusou a solicitar que sua prima se retirasse do local. Devido à chegada constante de novos pacientes, optei por encaminhar a Idosa para fazer logo as avaliações complementares mais importantes no Hospital Regional da Zona Norte, como um simples Eletrocardiograma (ECG) o qual não dispomos na unidade. Devido à decisão de encaminhar a paciente para agilizar os procedimentos, já que a mesma estava apenas esperando enquanto não estávamos resolvendo o seu problema, os acompanhantes da senhora idosa invadiram o consultório, ameaçaram os profissionais, rasgaram a ficha de encaminhamento, jogaram em cima de mim, o que tornou necessária a ligação para a equipe de polícia da cidade, pois na Unidade de Pronto Atendimento não dispomos de Seguranças no local. Seria ideal que houvesse seguranças e câmeras filmando o que se passa no local, pois, muitas vezes, os pacientes, emocionalmente alterados pela doença, podem perder a razão e nos oferecer sérios riscos.Ao contrário do que foi publicado sem provas, temos na unidade o registro do atendimento, a ficha de encaminhamento da paciente para o Hospital Regional, as várias testemunhas que viram a paciente entrar e ser atendida. Como a própria moça que publicou a calúnia disse: “ele falou que ia encaminhar minha mãe para fazer um curativo”. Bem, se eu falei algo, é porque havia examinado a paciente, concordam? Todos os cidadãos têm o DIREITO a um atendimento médico de qualidade, mas não podem ter sempre suas VONTADES atendidas tampouco exigir prioridade quando não necessitam. É uma pena que muitas vezes o cenário da saúde seja usado para atingir objetivos políticos locais de oposição, pois como é sabido no município, apesar da gestão pública investir na área e tentar suprir as necessidades da população na medida do possível, falhas e déficits a serem corrigidos acabam se tornando sensacionalismo político.Desde já agradeço aos pacientes que têm me apoiado desde o início deste boato, pois são eles que me dão a consciência tranquila de que tenho feito o correto no serviço, afinal, o dever do médico não é fazer o que os pacientes DESEJAM, mas sim, fazer o que lhes é recomendado para sua saúde.
Por fim...  Dou exemplo de alguns dos pacientes que me confiam a saúde dos seus filhos, e as suas, e até o momento não se arrependeram e têm me dado apoio nesta questão (todas as fotos tiradas com a devida permissão dos mesmos).  Agradeço aos forquilhenses de bem que têm me apoiado e entendem a realidade da situação, agradeço também aos que emitem opiniões com calma e refletindo sobre as duas faces da moeda.
Fonte: Fpn
Nota de Esclarecimento dos Fatos, pelo médico Adriano Bispo Nota de Esclarecimento dos Fatos, pelo médico Adriano Bispo Reviewed by Fabiano Silva on 18:22:00 Rating: 5

Nenhum comentário